Fale conosco

(21) 98378-0435

(21) 99999-2582

(21) 99835-3798

  • Facebook Social Icon
  • unnamed
CNPJ  28.326.681/0001-00

 

A atuação de fisioterapeutas, especialistas em fisioterapia respiratória, com formação em neurofisiologia do sono e nos distúrbios respiratórios do sono, é uma nova área de atuação deste profissional,  possibilitando contribuir para diagnóstico das disfunções respiratórias do sono e do seu tratamento, através dos resultados da poligrafia respiratória e da prescrição de pressão positiva nas vias aéreas (PAP), através de equipamentos de ventilação não invasiva (VNI), sendo o fisioterapeuta respiratório o profissional da saúde que mais possui experiência nesta prática em nosso país.

 

APNEIA DO SONO:  É a suspensão momentânea e recorrente da respiração durante o sono por mais de 10 segundos.

Apresenta pequenas paradas respiratórias durante uma noite de sono (apneias). Mais frequente no homens e em mulheres pós menopausa, aumenta na fase adulta, sendo o ronco, a excessiva sonolência durante o dia, perda de memória e acordar cansado como se não tivesse dormido bem, os principais sinais e sintomas de quem tem apneia do sono

A apneia do sono é um distúrbio muito sério e que deve ser diagnóstico e tratado, pois acarreta danos importantes à saúde, a saber:

  • Risco de acidente vascular cerebral (AVC), hipertensão arterial, diabetes mellitus, infarto agudo do miocárdio, arritmias cardíacas, perda de memória e concentração, hipersonolência diurna, diminuição da libido, redução do rendimento profissional e aumento o risco de acidentes de trânsito e de trabalho.

 

IMPORTANTE:  A apneia do sono é uma doença crônica, incapacitante e potencialmente fatal quando não tratada.

 

TIPOS: A apneia pode ser subdividida em 3 tipos:

 

- Apneia Central                                                                                 

- Apneia Obstrutiva (a mais comum)                                                                                         - Apneia Mista.

 

CLASSIFICAÇÃO DAS APNEIAS:

 

A gravidade da doença está diretamente associada ao Índice de Apneias e Hipopneias (IAH) por hora, uma relação entre o número de horas dormida e o número de apneias.

-  menor que 5: normal
-  entre 5 e 15: apneia leve
-  entre 16 e 30: apneia moderada
-  acima de 30: apneia grave

 

As inúmeras paradas respiratórias impedem que a quantidade adequada de ar chegue aos pulmões. Quando isso acontece há uma diminuição na concentração de oxigênio no sangue, um aumento da atividade cardíaca para suprir essa deficiência de oxigênio e, como consequência, um aumento da pressão arterial e da pressão pulmonar. Por conta do maior número de despertares noturno, levando a fragmentação do sono, ocasionando excesso de sonolência diurna, aumento do peso corporal, produção de refluxo gástrico e síndrome metabólica.

 

SINAIS E SINTOMAS:

 

-  Ronco e pequenas paradas respiratórias durante o sono
-  Excesso de sono diurno
-  Cefaléia matinal
-  Diminuição da libido
-  Desânimo e redução da capacidade de trabalho
-  Redução da memória e da concentração                                                       

                                                                                                                                 

DIAGNÓSTICO:   Profissionais especializados poderão através de exame físico, aplicação de questionários clínicos validados e análise da polissonografia ou poligrafia respiratória identificar distúrbios respiratórios durante o sono, como as apneias e seus subtipos.

 

 

TRATAMENTO:

• Principal tratamento para abolir as apneias e reduzir os riscos de doenças associadas a apneia é a utilização de pressão positiva nas vias aéreas (PAP). 

 

Em casos específicos, Fisioterapeutas Respiratórios com formação e prática em Distúrbios Respiratórios do Sono (DRS) poderão auxiliar na realização da polissonografia ou poligrafia respiratória, na prescrição, ajustes e gerenciamento dos parâmetros e valores de pressão positiva nas vias aéreas, bem como a aplicação da CPAP ou do BIPAP, que pode ser indicada pelo seu fisioterapeuta ou médico do sono após exame específico para titulação dos valores de PAP. A regulagem das pressões e dos outros parâmetros do aparelho de CPAP deve ser realizada pelo fisioterapeuta respiratório com experiência em ventilação não invasiva (VNI) e em distúrbios do sono, para melhor adaptação e sucesso deste tratamento, que dependerá do uso correto e duradouro da CPAP. A indicação e adaptação correta da máscara de CPAP deverá ser testada pelo fisioterapeuta especialista, que avaliará a melhor interface para cada tipo de paciente.

 

• Outros tratamentos coadjuvantes para apneia do sono são: programas de reeducação da alimentação, controle do peso corporal, exercícios específicos aplicados por fisioterapeutas respiratórios ou fonoaudiólogos do sono, além de orientações sobre higiene do sono (colchão, travesseiro, postura e hábitos adequados), avaliação odontológica de dispositivo intraoral e avaliação médico-cirúrgica pela otorrinolaringologia.

 

 

Se você ronca frequentemente e tem excesso de sonolência durante o dia procure um especialista em sono, confirme o diagnóstico e realize o tratamento correto; só assim, você terá um sono e uma saúde normal.

 

 

 

Dr. Leandro Azeredo – Fisioterapeuta Respiratório (Crefito 2/20551F)

 

Doutorando em apneia do sono na UFF.

Mestre em ciências médicas pela UERJ

Especialista em Fisioterapia Respiratória (ASSOBRAFIR/COFFITO),

Pós-graduado em geriatria e gerontologia pela UFF e curso em aperfeiçoamento

multiprofissional em distúrbios do sono no Instituto Sono/AFIP (SP)

Atendimentos:  Durmabem – Clínica do Sono

Av. Nossa Senhora de Copacabana, 794, salas 902/903 – Copacabana - RJ

Tel.: 21.3594-8227 / 99737 9464 (ZAP)

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Bate papo com Presidente da AFIDERJ.

September 4, 2019

1/10
Please reload

Posts Recentes

January 26, 2019

Please reload

Arquivo
Posts Em Destaque